Causas, sintomas e tratamento da cefaleia. Abordamos os tipos de cefaleia primária e secundária, cefaleias explosivas, agudas, subagudas e crónicas, cefaleia em salvas e cefaleia tensional. Tratamentos naturais, médicos e alternativos.


segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Tratamento da cefaleia em salva

O manejo da cefaleia em salva tem início com a orientação dos pacientes sobre hábitos que desencadeiam as crises. Algumas medidas gerais são eficientes para o manejo das crises, como oxigênio a 100%, sendo uma alternativa válida e eficiente, com praticamente nenhum efeito colateral.
As drogas utilizadas para o manejo da crise de cefaleia em salvas são a ergotamina, 1 mg, endovenosa, intramuscular ou subcutânea até 3 mg ao dia, e os triptanos – sumatriptano, 6 mg, via subcutânea, ou 20 mg intranasal, que devem ser usados em doses plenas para o controle das crises.
Quando a cefaleia em salvas é muito frequente, ou pode ser definida como crônica, o uso de corticóide, equivalente a prednisona 40 mg, oferece alívio e pode ser mantido nesta dose, iniciando-se a retirada após três dias de tratamento, num ritmo de 5 mg ao dia.
Bloqueadores de canais de cálcio também são uma alternativa importante. O uso de verapamil, em doses de 240 a 320 mg ao dia, mostra-se eficiente e pode ser associado ao corticóide para uma terapia mais prolongada em pacientes que têm crises frequentes ou em quem os episódios recorrem persistentemente.
Casos que não respondam adequadamente à terapêutica proposta devem ser encaminhados ao especialista focal para readequação do tratamento.
Índice dos artigos relativos a Cefaleia

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL