Causas, sintomas e tratamento da cefaleia. Abordamos os tipos de cefaleia primária e secundária, cefaleias explosivas, agudas, subagudas e crónicas, cefaleia em salvas e cefaleia tensional. Tratamentos naturais, médicos e alternativos.


terça-feira, 20 de setembro de 2011

A Cefaléia primária do exercício

Com prevalência de 1% apenas, é uma cefaléia holocranial, pulsátil, com duração de 5 minutos a 48 horas e associada a qualquer tipo de exercício físico (exceto a tosse, embora estes dois tipos possam coexistir).
Curiosamente, alguns pacientes sofrem desencadeamento da dor apenas por um tipo específico de esforço, como jogar futebol por exemplo, sem que esforços até comparativamente mais intensos associados a outro esporte provoquem qualquer tipo de cefaléia. Afeta mais homens de meia idade, ocorre mais facilmente em climas quentes ou em locais de altitude elevada, e perdura por alguns anos. Na ocorrência da primeira crise é mandatório investigar a possibilidade de hemorragia subaracnóide ou dissecção arterial. A angiografia por ressonância deve ser realizada para afastar a possibilidade de Síndrome de Vasoconstricção Cerebral Reversível (RCVS ou Síndrome de Call-Fleming). Aqui também a indometacina ou os betabloqueadores são indicados como profiláticos.

Cefaléia primária da tosse

Com prevalência de cerca de 1% em toda vida, se trata de uma cefaléia de início súbito, moderadamente intensa, tipicamente desencadeada pela tosse, espirro ou pela manobra de Valsalva. Predomina no sexo masculino. A dor é bilateral com duração de segundos a menos de 30 minutos. A etiologia ainda não foi elucidada, mas parece ter relação com curtos períodos de elevação da pressão intracranial. Um exame de ressonância magnética de crânio é necessário para se concluir se esta cefaléia é realmente primária, posto que cerca de 40% dos pacientes com cefaléia da tosse apresentam má formação de Arnold Chiari tipo I, doença vascular carotídea ou vertebral ou então aneurisma, meningiomas da fossa posterior, ou invaginação basilar secundária ou não a doença de Paget.
Os casos verdadeiramente primários podem apresentar boa resposta com a utilização profilática de indometacina, com doses que variam de 50 a 200mg/dia, pelo período de seis meses a quatro anos. O emprego de propranolol, acetazolamida, metisergida, naproxeno ou (mais recentemente) topiramato, são opções terapêuticas válidas. A punção lombar com retirada de até 40 ml de líquido cefalorraquidiano já foi descrito como alternativa para a solução do problema.
A cefaléia do espirro (“esternutodínia” ou “ptarmicalgia”) surge com o espirro, e deve fazer-nos lembrar sempre da malformação de Arnold-Chiari.

Cefaleia em trovoada primária

A cefaléia em trovoada primária, é um tipo raro de cefaléia (43 por 100.000 pacientes), caracterizada por um início super-agudo – menos de 30 segundos – de violenta cefaléia, que pode perdurar de 1h até 10 dias.
A cefaléia em trovoada primária assemelha-se às formas secundárias, o que obriga a investigação diagnóstica com exames complementares. Alguns autores consideram que a cefaléia em trovoada primária nada mais é do que a forma secundária sem que se tivesse ainda descoberto a causa.
Hemorragia subaracnóide é a etiologia mais freqüente da cefaléia em trovoada secundária, embora outras causas também possam desencadeá-la, como dissecção de artéria carótida, apoplexia pituitária, trombose de seios venosos, hipotensão intracranial idiopática, cisto colóide do III ventrículo e angeite do sistema nervoso central. A Síndrome de Vasoconstricção Cerebral Reversível, uma condição subdiagnosticada, é das causas mais frequentes de cefaléia em trovoada. A dor é intensa, bilateral, atinge o ápice em menos de um minuto e tende a começar na região posterior. Cefaléias em trovoada recorrentes são praticamente patognomônicas de Síndrome de Vasoconstricção Cerebral Reversível.
Oitenta por cento dos pacientes refere algum desencadeante, como exercício, sexo, evacuação, emoções, tosse, espirro ou banho, entre outros. A cefaléia pode vir acompanhada de sinais neurológicos focais ou crises convulsivas. A angiografia mostra contrações segmentares das artérias intracerebrais. Mulheres são ligeiramente mais acometidas, sendo de 60% dos casos são secundários. A cefaléia é muito intensa e tende a melhorar com nimodipina.

Prevenir a cefaleia

Tente manter um diário, para descobrir o que desencadeia a sua dor de cabeça. Ao evitar esses desencadeadores poderá reduzir o número de ocorrências.
Respirar fundo, relaxamento e exercício regular podem manter os níveis de stress baixos e reduzir a probabilidade de ter dores de cabeça. As dores de cabeça podem ser um sintoma de depressão. Se estiver com depressão, deve consultar o seu médico de família, que poderá receitar medicamentos para a depressão. Isso poderá evitar ou reduzir a frequência das dores de cabeça. Se tiver cefaleias histamínicas, não beba álcool quando estas acontecem, pois podem piorar. No entanto, o álcool não parece ser um desencadeador deste tipo de dores de cabeça. Também deve tentar evitar substâncias de odor forte, como gasolina e solventes, e evitar fazer exercício quando está muito calor.

Tratamento da cefaleia tipo tensional e cefaleias histamínicas

Normalmente pode tratar as cefaleias de tipo tensional com técnicas de relaxamento e analgésicos fracos. Um analgésico como o paracetamol costuma ajudar a aliviar a dor. É melhor tomar uma dose inteira assim que começar a dor de cabeça, e outra dose quatro horas mais tarde, se necessário. Deve sempre seguir as instruções da embalagem.

As cefaleias histamínicas não respondem a analgésicos sem receita médica. Um medicamento chamado sumatriptano é usado muitas vezes para tratar este tipo de dores de cabeça. Funciona ao interferir com um químico do cérebro chamado 5HT. Pensa-se que a alteração deste químico está ligada às cefaleias histamínicas e às enxaquecas. O sumatriptano só deve ser tomado se recomendado pelo seu médico de família. Outros medicamentos, como o verapamil ou o lítio, não foram feitos especificamente para as dores de cabeça, mas poderão ser-lhe receitados se precisar de um especialista (neurologista) para as cefaleias histamínicas.

Causas das cefaleias tipo tensional e cefaleias histamínicas

A causa das cefaleias tipo tensional não é clara. Pensa-se que é desencadeada por vários factores. Por exemplo, podem ocorrer mediante a diminuição da quantidade de um químico do corpo chamado serotonina. Stress, uma postura errada, esforçar-se para ler ou luzes fortes podem aumentar as probabilidades de dores de cabeça. Algumas mulheres sentem que as dores de cabeça estão ligadas à menstruação. Também pode ter dores de cabeça de ressaca se parar de tomar analgésicos depois de os ter tomado diariamente.

Os médicos desconhecem a causa das cefaleias histamínicas. Podem estar ligadas a uma parte do cérebro chamada hipotálamo, que controla o relógio corporal e isto pode explicar porque as dores de cabeça ocorrem na mesma altura do dia. Alguns desencadeadores das cefaleias histamínicas incluem o álcool substâncias com odor forte como gasolina, perfumes e solventes e aumentos extremos de temperatura.

Sintomas da cefaleia tipo tensional e cefaleias histamínicas

As cefaleias tipo tensional causam uma dor constante tipo pressão à volta da cabeça. Poderá sentir alguma pressão atrás dos olhos e tensão nos músculos do pescoço. A dor de cabeça não vem associada a náuseas, vómitos ou sensibilidade invulgar à luz ou ao som. Este tipo de dores de cabeça pode aumentar durante o dia e durar algumas horas, ou até mais.

No caso das cefaleias histamínicas, a dor é extremamente severa. Contudo, os ataques são geralmente curtos e duram uma hora ou duas, no máximo. A dor começa depressa e afecta um lado da cabeça, normalmente à volta do olho. O olho poderá ficar inflamado e poderá ter o nariz tapado no lado que lhe dói. Poderá sentir algumas dores de cabeça por dia, muitas vezes durante a mesma altura, e esta situação pode durar algumas semanas ou meses.

Cefaleia tipo tensional e cefaleias histaminicas

As cefaleias tipo tensional são comuns e muitas vezes causadas por stress. Este tipo de dor de cabeça ocorre normalmente uma ou duas vezes por mês e dura apenas algumas horas. Por vezes, as dores de cabeça mais persistentes podem durar alguns dias. Os sintomas típicos das cefaleias tipo tensional incluem uma dor constante em ambos os lados, tensão nos músculos do pescoço e uma sensação de pressão atrás dos olhos. Estas dores de cabeça tendem a afectar mais as mulheres do que os homens.

As cefaleias histamínicas afectam um lado da cabeça e podem ser bastante dolorosas. Muitas vezes perturbam o sono, fazendo com que acorde várias vezes durante a noite. O olho do lado afectado pode inflamar e poderá ficar com o nariz tapado desse lado. Este tipo de dores de cabeça é raro e tende a afectar mais os homens do que as mulheres.

Índice dos artigos relativos a CEFALEIA

Para se tornar mais fácil localizar os artigos deste blog relativos a tudo o que diz respeito a CEFALEIA, aqui fica um índice com todos os artigos:
  1. O que é cefaleia
  2. Tipos de cefaleia
  3. Como melhorar ou evitar sintomas da cefaleia, dor de cabeça
  4. Causas de cefaleia. dor de cabeça
  5. Tratamentos naturais da cefaleia, dor de cabeça
  6. Antidepressivos no tratamento da cefaleia
  7. Cefaleia em salvas
  8. Cefaleia tensional
  9. Tipos de dor de cabeça
  10. Diagnóstico da cefaleia
  11. Diagnóstico diferencial das cefaleias
  12. Principais recomendações no tratamento da cefaleia
  13. Tratamento de cefaleia tensional
  14. Tratamento da cefaleia em salva
  15. Classificação das cefaleias segundo a etiologia, o modo de instalação e a evolução
  16. Cefaleias primárias
  17. Cefaleias secundárias
  18. Cefaleias explosivas
  19. Cefaleias agudas
  20. Cefaleias subagudas
  21. Cefaleias crônicas
  22. Cefaleia tipo tensional e cefaleias histamínicas
  23. Sintomas da cefaleia tipo tensional e cefaleias histamímicas
  24. Causas das cefaleias tipo tensional e cefaleias histamínicas
  25. Tratamento da cefaleia tipo tensional e cefaleias histamínicas
  26. Prevenir a cefaleia
  27. Cefaleia em trovoada primária
  28. Cefaleia primária da tosse
  29. A cefaleia primária do exercicio

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Cefaleias crônicas

Cefaléias crônicas, são as que persistem por meses ou anos e, em geral, são primárias. Podem ser recidivantes, ocorrendo por período variável de tempo (minutos, horas, dias) para depois desaparecerem, reaparecendo algum tempo depois, como a migrânea, cefaléia em salvas, cefaléia tipo tensão esporádica e outras. Podem ser persistentes, aparecendo diariamente ou quase diariamente, por um período mínimo de quatro horas. A intensidade da dor deve permanecer mais ou menos a mesma no decorrer dos meses. São estas as características da cefaléia crônica diária, uma das que mais aparecem em consultórios médicos, especializados em cefaléia. O médico deve estar atento, nas cefaléias crônicas, para mudanças das características ou da intensidade da dor, pois podem indicar o aparecimento de cefaléia secundária associada.

Cefaleias subagudas

Cefaléias subagudas, instalação insidiosa, atingindo o ápice em dias ou poucos meses (até três meses). Ocorrem, principalmente, nas cefaléias secundárias, decorrentes de hematomas subdurais, tumores de crescimento rápido, meningites crônicas (fungo, tuberculose).

Cefaleias agudas

Cefaléias agudas, são as que atingem seu máximo em minutos ou poucas horas. Tanto as cefaléias primárias como as secundárias podem apresentar este tipo de instalação. Citamos, como exemplos, a migrânea, cefaléia de tensão, meningites, encefalites, hemorragias cerebrais não arteriais, sinusites agudas.

Cefaleias explosivas

Cefaléias explosivas, são as que surgem abruptamente, em fração de segundo, atingindo a intensidade máxima instantaneamente, às vezes, com o paciente se referindo a um estalo. Esta instalação sugere a ruptura de um aneurisma arterial intracraniano ou de outras malfomações vasculares. Existem, no entanto, tipos benignos de cefaléia que podem ter início dessa forma, a cefaléia orgásmica e a “thunderclap headache”.

Cefaleias secundárias

Cefaléias secundárias, são as provocadas por doenças demonstráveis pelos exames clínicos ou laboratoriais. Nestes casos, a dor seria conseqüência de uma agressão ao organismo, de ordem geral ou neurológica.
Citamos, como exemplo, as cefaléias associadas às infecções sistêmicas, disfunções endócrinas, intoxicações, ainda à hemorragia cerebral, às meningites, encefalites ou a lesões expansivas do SNC.
Após o atendimento de um paciente com cefaléia, o médico deve estar seguro para optar entre o diagnóstico de cefaléia primária ou secundária. Os exames subsidiários deverão ser solicitados, quando há impossibilidade de certeza diagnóstica de cefaléia primaria.

Cefaleias primárias

Cefaléias primárias, são as cefaleias que ocorrem sem etiologia demonstrável pelos exames clínicos ou laboratoriais usuais. O principal exemplo é a migrânea (enxaqueca), a cefaléia tipo tensão, a cefaléia em salvas e outras. Nestes casos, desordens neuroquímicas, encefálicas têm sido demonstradas, envolvendo desequilíbrio de neurotransmissores, principalmente para a migrânea. Tais desordens seriam herdadas e, sobre tal susceptibilidade endógena, atuariam fatores ambientais.

Classificação das cefaleias segundo a etiologia, o modo de instalação e a evolução

De acordo com a sua etologia, as cefaleias poderão ser classificadas em:

Segundo o modo de instalação e a evolução, as cefaleias poderão ser classificadas em:

Tratamento da cefaleia em salva

O manejo da cefaleia em salva tem início com a orientação dos pacientes sobre hábitos que desencadeiam as crises. Algumas medidas gerais são eficientes para o manejo das crises, como oxigênio a 100%, sendo uma alternativa válida e eficiente, com praticamente nenhum efeito colateral.
As drogas utilizadas para o manejo da crise de cefaleia em salvas são a ergotamina, 1 mg, endovenosa, intramuscular ou subcutânea até 3 mg ao dia, e os triptanos – sumatriptano, 6 mg, via subcutânea, ou 20 mg intranasal, que devem ser usados em doses plenas para o controle das crises.
Quando a cefaleia em salvas é muito frequente, ou pode ser definida como crônica, o uso de corticóide, equivalente a prednisona 40 mg, oferece alívio e pode ser mantido nesta dose, iniciando-se a retirada após três dias de tratamento, num ritmo de 5 mg ao dia.
Bloqueadores de canais de cálcio também são uma alternativa importante. O uso de verapamil, em doses de 240 a 320 mg ao dia, mostra-se eficiente e pode ser associado ao corticóide para uma terapia mais prolongada em pacientes que têm crises frequentes ou em quem os episódios recorrem persistentemente.
Casos que não respondam adequadamente à terapêutica proposta devem ser encaminhados ao especialista focal para readequação do tratamento.

Tratamento de cefaleia tensional

Pacientes portadores de cefaleia tensional beneficiam-se de uma abordagem sistêmica, na qual o contexto em que o sintoma se apresenta fique claro. O uso de analgésicos e de anti-inflamatórios não hormonais, é a conduta adequada para a maioria dos casos, desde que complementado com a orientação aos fatores desencadeantes.
É importante evitar o abuso de drogas ansiolíticas para alívio da tensão, uma vez que mascaram situações de vida que provocam desconforto e têm um grande potencial de adição, sem que isto resolva o problema do paciente.
Pacientes com quadro de cefaleia tensional podem se beneficiar do uso de antidepressivos tricíclicos– particularmente a amitriptilina – que têm boa ação na prevenção da cefaleia tensional e mesmo na prevenção da cefaleia decorrente de enxaqueca.

Principais Recomendações no tratamento da cefaleia

As principais recomendações no tratamento da cefaleia são em função da caracteristica as seguintes:


Cefaleia tensional

• Entender a situação;
• Oferecer apoio emocional;
• Evitar o uso de ansiolíticos, dentro do possível;
• Analgésicos e anti-inflamatórios não hormonais.

Enxaqueca

• Identificar e afastar, dentro do possível, os fatores desencadeantes;
• Entrar precocemente com o tratamento nos pródromos crises;
• Crises leves a moderadas podem ser manejadas com antieméticos, analgésicos e anti-inflamatórios não hormonais;
• Crises moderadas a intensas devem ser manejadas com triptanos ou analgésicos potentes;
• Pacientes com crises frequentes podem receber profilaxia com beta-bloqueadores, antidepressivos tricíclicos ou anticonvulsivantes.

Cefaleia em salvas

• Identificar e afastar desencadeantes;
• Oxigenioterapia, se disponível;
• Ergotamina ou triptanos para tratamento das crises;
• Crises muito frequentes, ou persistentes, profilaxia com corticóides e bloqueadores de canal de cálcio.

Politica de Privacidade

"Política de Privacidade"
"Este site pode utilizar cookies e/ou web beacons quando um usuário tem acesso às páginas. Os cookies que podem ser utilizados associam-se (se for o caso) unicamente com o navegador de um determinado computador.
Os cookies que são utilizados neste site podem ser instalados pelo mesmo, os quais são originados dos distintos servidores operados por este, ou a partir dos servidores de terceiros que prestam serviços e instalam cookies e/ou web beacons (por exemplo, os cookies que são empregados para prover serviços de publicidade ou certos conteúdos através dos quais o usuário visualiza a publicidade ou conteúdos em tempo pré determinados). O usuário poderá pesquisar o disco rígido de seu computador conforme instruções do próprio navegador. O Google, como fornecedor de terceiros, utiliza cookies para exibir anúncios neste BLOG.
Com o cookie DART, o Google pode exibir anúncios para seus usuários com base nas visitas feitas a este site.
Você pode desativar o cookie DART visitando a Política de privacidade da rede de conteúdo e dos anúncios do Google.
Usuário tem a possibilidade de configurar seu navegador para ser avisado, na tela do computador, sobre a recepção dos cookies e para impedir a sua instalação no disco rígido. As informações pertinentes a esta configuração estão disponíveis em instruções e manuais do próprio navegador".
Este site respeita e procura responder todos os e-mails enviados.
Após a leitura este site apaga todos os endereços de e-mail enviados.
Este site afirma que não utiliza e-mails para políticas de Spam ou de envio de e-mails indesejados.
Este site não se responsabiliza pelo conteúdo, promessas e veracidade de informações dos banners colocados pelos seus patrocinadores. Toda a responsabilidade é dos anunciantes.

Diagnóstico diferencial das cefaleias

O diagnóstico diferencial das cefaleias também inclui dor de cabeça causada por sinusite, alterações na articulação têmporomandibular, uso excessivo de medicação e póstrauma.
O diagnóstico de enxaqueca pode ser confundido com o de cefaleia causada por sinusite, tendo em vista que alguns dos sintomas oculares e nasais podem dificultar a interpretação diagnóstica feita pelo médico e entre 40% e 90% dos pacientes podem apresentar os critérios diagnósticos de enxaqueca.
Contudo, a frequência, a intensidade dos episódios de cefaleia, assim como outros sintomas associados à sinusite e radiografia dos seios da face, podem auxiliar no diagnóstico diferencial.
A sinusite crônica não é causa de cefaleia, a não ser que ocorra uma agudização do quadro. Os critérios diagnósticos de cefaleia atribuída à rinossinusite são:
a) Acefaleia frontal acompanhada por dor em uma ou mais regiões da face, ouvidos ou dentes e preenchendo alguns critérios bem definidos;
b) Evidência clínica, por endoscopia nasal, por imagens de tomografia computadorizada e/ou ressonância nuclear magnética e/ou laboratorial de rinossinusite aguda ou agudização de rinossinusite crônica;
c) A cefaleia e dor facial aparecem simultaneamente com o início ou exacerbação aguda da rinossinusite;
d) A cefaleia e/ou a dor facial desaparecem dentro de sete dias após a remissão ou o tratamento bem-sucedido da rinossinusite aguda ou da agudização de rinossinusite crônica. Os erros de refração muitas vezes são muito valorizados como causa de cefaleia; no entanto, quando estão de fato implicados trazem dor de moderada intensidade, frontal e ocular ausente com exercício. As doenças da articulação têmporo-mandibular devem ser incluídas no diagnóstico diferencial quando o paciente apresentar quadro clínico de dor também na face e disfunção na oclusão oral, quando deve ser encaminhado para a avaliação de odontólogos e realização de ressonância magnética para a confirmação do diagnóstico.

Diagnóstico da cefaleia

Apenas 1% das cefaleias é ocasionado por doenças graves, que necessitam de atendimento imediato. Para a maioria dos pacientes, mais importante do que um medicamento que alivie os seus sintomas é saber a origem do seu problema. Assim, o manejo das cefaleias, particularmente num cenário de atenção primária à saúde, inicia-se com informação clara e uma adequada relação médico-paciente.
Inicialmente, no diagnóstico da cefaleia, é importante identificá-la como primária ou secundária, além de afastar a presença de possíveis sinais e sintomas de alerta que indicariam a necessidade de avaliação por um especialista focal e exames de imagem. A utilização de tomografia computadorizada na atenção primaria à saúde é uma estratégia pouco robusta para melhorar a detecção de doenças mais graves.

Tipos de dor de cabeça

Existem muitos tipos de dor de cabeça. Aqui enumeramos algumas delas:

• Cefaleia por tensão nervosa: dor contínua em uma ou mais áreas, com dor nos músculos do pescoço e parte superior das costas, podendo haver tonturas. Um dos tratamentos mais comuns para esta dor inclui a aplicação de blocos de gelo no pescoço e parte superior das costas. Tome vitamina C e P(bioflavonóides) extra. Evite açúcar, cafeína, alimentos alergênicos, estresse. Pratique mais exercícios.

• Dor de cabeça por ressaca: Causada geralmente após ingerir bebidas alcoólicas. Coloque gelo no pescoço e beba muita água e sucos de fruta. Pare de beber álcool.

• Cefaleia por esforço físico: Esta é causada por esforço físico ou sexual excessivo. Aplicar blocos de gelo ao ponto de dor, melhorar a dieta e parar com os excessos.

• Dor de cabeça devido à cafeína: Acontece quando você tenta parar com sua dependência de café muito rapidamente. Beba uma pequena quantidade de café para parar a dor de cabeça, e depois, gradualmente, vá diminuindo a dose até parar.

• Cefaleia devido aos seios nasais: Dor à direita e/ou à esquerda do nariz e sobre ele. Aplique calor húmido para reduzir os problemas, e tome mais vitamina C.

• Cefaleia menstrual: Ocorre antes ou durante a menstruação. Tome potássio, magnésio e vitamina B6.

• Dor de cabeça por fome: A cefaleia geral que ocorre pouco antes da refeição, e é causada por pular refeições ou dietas excessivas. Melhore suas refeições, incluindo carboidratos e proteínas, para ajudar seu corpo a aguentar firme até a próxima refeição.

• Dor de cabeça por fadiga visual: Dor nos lobos frontais, logo atrás dos olhos. Muitos pensam isto é causado por problemas não corrigidos da visão, mas também pode ser causada por muito trabalho do cérebro, principalmente em horas tardias. Mude o seu modo de vida e verifique se você precisa de uma mudança de óculos.

• Dor de cabeça devido à artrite: Dor na parte traseira da cabeça ou pescoço, que aumenta com o movimento. Chá da erva matricária é recomendado, mas não durante a gravidez.

• Dor de cabeça por hipertensão: Uma dor incómoda em grande parte da cabeça, aumentada pelo movimento. Abaixe sua pressão arterial.




















segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Cefaleia Tensional

A cefaleia tensional é a forma mais comum de cefaléia (ocorre em quase 70% das pessoas).
Os pacientes com cefaléia tensional podem apresentar dor com as seguintes características:
  • dor geralmente localizada nos dois lados da cabeça;
  • dura de minutos a dias;
  • é de intensidade leve a moderada;
  • pode se manifestar como uma sensaçao de aperto ou pressao;
  • nao piora com a atividade física rotineira.

Cefaleia em Salvas

A cefaléia em salvas, que possui esse nome pois ocorre em salvas - série que dura semanas ou meses, é um tipo muito doloroso de cefaléia. Nas crises, a intensidade da dor é muito intensa e podem ocorrer várias vezes em 24 horas, porém são mais comuns durante a noite.
Os pacientes que apresentam tal cefaléia se encontram, tipicamente, entre 20 a 40 anos, em sua maioria pertencem ao sexo masculino e podem ter períodos de remissao que duram meses e até anos.


Os Sintomas típicos da cefaléia em salvas são:
  • dor unilateral intensa;
  • dor que dura de 15 minutos a 3 horas por crise;
  • dor geralmente em torno do olho e/ou regiao temporal que pode se irradiar para outras regioes da cabeça;
  • pálpebras inchadas, olhos lacrimejantes, sudorese facial e congestao nasal.

Antidepressivos no tratamento das cefaleias

Mais de 20 diferentes tipos de antidepressivos existem, divididos em várias classes (tricíclicos, inibidores da MAO, inibidores da recaptação de serotonina, serotonina e noradrenalina, serotonina e dopamina) porém poucos são sabidamente eficazes no tratamento das cefaleias. A medicação mais usada e com comprovação científica mais ampla é a AMITRIPTILINA, um antidepressivo tricíclico, cujos principais efeitos colaterais são sonolência (útil para pacientes com insónia), e boca seca.
É uma medicação utilizada para depressão, vários tipos de dor, Apoio: ansiedade, insónia, síndrome do cólon irritável e fibromialgia.
Outros antidepressivos são usados para o tratamento da enxaqueca, cefaleia do tipo tensional e cefaleia crónica diária, porém apenas os tricíclicos tem sabida eficácia. OS antidepressivos são : - ORTRIPTILINA, IMIPRAMINA, DOXEPINA (classe dos tricíclicos);
- FLUOXETINA, CITALOPRAM, SERTRALINA, PAROXETINA, FLUVOXAMINA (classe dos inibidores da recaptação da serotonina);
- BUPROPRION, AMINEPTINA (inibidores da noradrenalina e dopamina); MIRTAZAPINA, NEFAZODONE, VENLAFAXINA, ROLIPRAM (inibidores da recaptação da noradrenalina) FENELZINE, TRANILCIPRAMINE (inibidores da MAO).
Recentemente foi lançada a medicação antidepressiva DULOXETINA, com acção equilibrada de dois neurotransmissores: a serotonina e a noradrenalina, os resultados são promissores.

Tratamentos naturais da cefaleia, dor de cabeça

Existem diversos tratamento naturais que podem contribuir para o tratamento da dor de cabeça, nomeadamente:
• Quando surgir uma dor de cabeça, aplique compressas frias no lugar onde a dor parece ter originado. Isto reduz espasmos musculares e ajuda os vasos sanguíneos. Deixe um pano limpo e húmido na geladeira por 10 minutos, ou mergulhe-o em água com cubos de gelo, retire-o e torça-o e aplique.
• Coloque um aquecimento sobre os músculos do ombro como uma almofada, toalha quente ou garrafa de água quente e talvez no pescoço. Fazer isso pode te ajudar.
• Durma o suficiente, mas evite acordar tarde. Vá dormir mais cedo.
• Não coma demais. Inclua suficiente quantidade de fibra em suas refeições.
• O tratamento para cefaleia depende da causa. Cefaleias causadas por um determinado problema frequentemente retornam. Portanto, identifique a causa e muitas futuras dores de cabeça serão evitadas.
• Às vezes, dores de cabeça repetidas, são um sintoma de uma doença mais grave.
• Certifique-se de que você esteja recebendo suficiente vitamina B, especialmente niacina e ácido pantatênico. Vitamina A e ferro são também importantes (mas não se esqueça de dar preferência sempre a obter o seu ferro de alimentos, tais como melaço, etc e não de produtos químicos, como suplementos).
• Exercícios regulares podem ajudar a prevenir dores de cabeça devido à tensão. Exercite-se quando houver dor de cabeça, caso a dor não seja severa.
• Faça suas refeições em horas regulares, e não coma alimentos que possam causar-lhe este problema.
• Respire profundamente.
• O brilho da luz pode causar fadiga visual e dores de cabeça.
• Não mastigue chiclete. A mastigação repetitiva pode trazer tensão e dor de cabeça.
• Não use muito sal.
• Não exagere. Aprenda a viver dentro do seu limite.
• Quando tiver que enfrentar altas altitudes, tome adicional vitamina C, para evitar uma cefaleia devido a alta altitude.
• Mantenha um diário para ajudá-lo a determinar a causa das dores de cabeça. Anote: data, hora do dia, quando a dor é sentida e quaisquer comentários sobre o que você acha que podem ser possíveis causas.
• Se alguns dos seguintes sintomas ocorrem com a cabeça, a situação pode ser mais grave, e você deveria consultar um profissional: febre e rigidez no pescoço, sensibilidade à luz, perda da fala ou confusão, batimento cardíaco irregular, pressão na área dos sinus na face, mudança visual das cores ou a sensação de que sua cabeça vai explodir.
• Se você acha que alguma coisa que comeu ocasionou uma terrível dor de cabeça, tome 5 comprimidos de carvão dentro de uma hora. (não tome comprimidos de carvão diariamente)
• Alguns chás das seguintes ervas podem ser benéficos: valeriana, matricária, erva-cidreira, primavera, lavanda e salgueiro.

Causas de cefaleia, dor de cabeça

Existem muitas causas que motivam o aparecimento da cefaleia, dor de cabeça. Aqui enumeramos algumas delas:
• Cefaleia por tensão nervosa: dor contínua em uma ou mais áreas, com dor nos músculos do pescoço e parte superior das costas, podendo haver tonturas. Um dos tratamentos mais comuns para esta dor inclui a aplicação de blocos de gelo no pescoço e parte superior das costas. Tome vitamina C e P(bioflavonóides) extra. Evite açúcar, cafeína, alimentos alergênicos, estresse. Pratique mais exercícios.
• Dor de cabeça por ressaca: Causada geralmente após ingerir bebidas alcoólicas. Coloque gelo no pescoço e beba muita água e sucos de fruta. Pare de beber álcool.
• Cefaleia por esforço físico: Esta é causada por esforço físico ou sexual excessivo. Aplicar blocos de gelo ao ponto de dor, melhorar a dieta e parar com os excessos.
• Dor de cabeça devido à cafeína: Acontece quando você tenta parar com sua dependência de café muito rapidamente. Beba uma pequena quantidade de café para parar a dor de cabeça, e depois, gradualmente, vá diminuindo a dose até parar.
• Cefaleia devido aos seios nasais: Dor à direita e/ou à esquerda do nariz e sobre ele. Aplique calor húmido para reduzir os problemas, e tome mais vitamina C.
• Cefaleia menstrual: Ocorre antes ou durante a menstruação. Tome potássio, magnésio e vitamina B6.
• Dor de cabeça por fome: A cefaleia geral que ocorre pouco antes da refeição, e é causada por pular refeições ou dietas excessivas. Melhore suas refeições, incluindo carboidratos e proteínas, para ajudar seu corpo a aguentar firme até a próxima refeição.
• Dor de cabeça por fadiga visual: Dor nos lobos frontais, logo atrás dos olhos. Muitos pensam isto é causado por problemas não corrigidos da visão, mas também pode ser causada por muito trabalho do cérebro, principalmente em horas tardias. Mude o seu modo de vida e verifique se você precisa de uma mudança de óculos.
• Dor de cabeça devido à artrite: Dor na parte traseira da cabeça ou pescoço, que aumenta com o movimento. Chá da erva matricária é recomendado, mas não durante a gravidez.
• Dor de cabeça por hipertensão: Uma dor incómoda em grande parte da cabeça, aumentada pelo movimento. Baixe sua pressão arterial.

Como melhorar ou evitar sintomas da cefaleia, dor de cabeça

Existem várias estratégias não medicamentosas que se reconhece melhorar o controle das cefaleias.
Identificar e evitar os factores desencadeantes, não ficar longos períodos sem alimentação, não fumar, evitar o stress, ter um sono regular são úteis no controle das crises de dor de cabeça. Fazer exercícios regularmente pode também reduzir sensivelmente o número de crises.
Quando ansiedade, ou depressão, ou crises de pânico, ou fases de mania estão presentes, a psicoterapia cognitiva aumenta o grau de controle das cefaleias. Outras estratégias como o biofeedback, a hipnose são também úteis em alguns casos.
Acupuntura pode ajudar, e o uso de fitoterápicos e outros tratamentos não estão ainda bem estudados.
É o principal tratamento das dores de cabeça, o tratamento preventivo, também conhecido como profilático, visa evitar as crises, torná-las menos intensas, menos frequentes, e mais responsivas ao tratamento agudo.
Expectativas realistas para o tratamento são necessárias, redução das crises em 50% acontecem na maioria dos casos.

Tipos de Cefaleia

A Sociedade Internacional de Cefaléia reconhece mais de 150 modalidades de dor de cabeça.
As cefaléias são subdivididas em primárias e secundárias. As primárias são aquelas causadas por distúrbios bioquímicos do próprio cérebro. A dor é deflagrada pela disfunção de neurotransmissores. Neste grupo, incluem-se a enxaqueca, a cefaléia tensional, a cefaléia em salvas, hemicranias paroxísticas e outras. Assim, as cefaléias primárias são, ao mesmo tempo o sintoma e a doença.
As cefaléias secundárias são decorrentes de afecções em qualquer região do corpo e podem ser aneurismas, meningites, inflamações dos olhos, ouvidos, nariz e garganta e podem causar dor de cabeça. Felizmente, 90% das cefaléias são primárias. Entre elas a enxaqueca é a mais comum. A enxaqueca acomete principalmente mulheres, iniciando-se na infância, adolescência ou no adulto-jovem.
Caracteriza-se por hemicraniana, pulsátil, intensa, com duração aproximadas de três horas a três dias, acompanhada de náuseas, vômitos, fotofobia (dificuldade de olhar para a luz), fonofobia (intolerância aos ruídos, principalmente os mais agudos), piora com o esforço e melhora com o repouso. Muitas vezes é precedida por sintomas visuais (flashes de luz, retração do campo visual), sensitivos (domências) ou motores (fraqueza de um membro), com duração máxima de uma hora, que são denominados aura e ocorrem em 15% dos indivíduos com enxaqueca.

Conheça as causas da cefaleia
Conheça a classificação das cefaleias
Saiba como prevenir a cefaleia
Conheça todos os tipos de cefaleia e tratamentos adequados no índice de artigos sobre cefaleia

O que é Cefaleia

Cefaleia é o termo médico para dor de cabeça. É um dos sintomas mais comuns na medicina, é uma das queixas mais frequentes de consultas a clínicos, pediatras e neurologistas, fisioterapeutas especializados em osteopatia, quiropatia e acupuntura e cirurgiões-dentistas especialistas em Disfunção temporomandibular e dor orofacial e também um dos motivos mais comuns de falta ao trabalho. A cefaleia é um sintoma universal no ser humano. Estima-se que 90 a 100% das pessoas terão algum tipo de dor de cabeça ao longo da vida.

Índice dos artigos relativos a Cefaleia

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL